Filig 2015 | Festival Internacional de Literatura Infantil de Garanhuns

De a

Notícias

O importante é ilustrar com o coração, diz Miguel Tanco para a garotada do Filig

IMG_3380

Tanco convidou as crianças a soltar a imaginação

“O importante é ilustrar com o coração. Se um dia vocês fizerem um desenho e não acharem bonito, não joguem fora. Insistam. Ele pode se transformar em uma grande ilustração e contar uma bela história”, disse o ilustrador italiano Miguel Tanco às crianças que participaram da oficina realizada na tarde deste sábado (17), no Polo Caramiolas.

Durante a oficina, Tanco pediu aos pequenos, entre 4 e 12 anos, que fizessem, com o uso de uma esponja molhada e tinta colorida, uma mancha abstrata no papel. As crianças seguiram as instruções e, como previsto, no primeiro momento, só conseguiram enxergar “manchas de tinta sem significados”. Foi aí que o ilustrador incentivou a garotada a usar a criatividade e tentar enxergar nas manchas algum personagem.

levi

As manchas feitas por Levi deram origem a um lindo tamanduá

O pequeno Levi Klauss, 10 anos, recriou um lindo tamanduá sobre a imagem. Já Maria Cecília, 9 anos, enxergou um porco rosa na mancha que tinha feito e resolveu desenhar as orelhas e o nariz. Também surgiram elefantes, borboletas e aranhas. E assim, Miguel Tanco conseguiu demonstrar para a garotada que qualquer imagem pode contar uma história, basta usar a imaginação.

OFICINA PARA ADULTOS – Também na tarde deste sábado, a ilustradora argentina Anabella López ministrou oficina para o público adulto no Polo Caramiolas. Ela mostrou aos participantes que uma ilustração pode ter diversas leituras e significados.

“Quando pensamos em uma ilustração, precisamos conhecer os seus elementos, porque através deles é que podemos recriar várias leituras”, disse Anabella, citando como exemplo os elementos que identificam a imagem de um rosto: olhos, boca e nariz. “Com esses três elementos, podemos construir diferentes tipos de personagens”.

anabella

Anabella trabalhou os elementos e significados das imagens

E para mostrar na prática como isso acontece, Anabella pediu para que os participantes levassem para o curso uma foto com a imagem dos seus rostos. Ela pediu para que todos recortassem os olhos, o nariz e a boca de cada fotografia. Em seguida, os elementos foram misturados e deram origem a outros rostos, com as mais diversas expressões e personalidades. Durante a atividade de colagem, os alunos também aprenderam a trabalhar com a técnica do contraste.

Últimas

É difícil publicar para crianças? Com a palavra Annete Baldi e Renata Nakano

Anna Laura Cantone fala sobre o humor dos seus personagens